Outubro Rosa

 

O Outubro Rosa deste ano amarga uma triste estatística. Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 66 mil mulheres serão atingidas pelo câncer de mama no Brasil apenas neste ano. De acordo com a Fundação do Câncer, por conta da pandemia, houve uma redução de 84% nas mamografias feitas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Com os números mostrados acima, não resta dúvidas: em 2020, a Campanha Outubro Rosa, ganhou ainda mais importância. E, por isso, nesse artigo, abordaremos os principais aspectos dessa campanha e como ela ajuda na conscientização sobre o câncer de mama. Confira:

 

Como surgiu a campanha Outubro Rosa?

Com o objetivo de arrecadar fundos para pesquisas realizada pela instituição Susan G. Komen Breast Cancer Foundation, o movimento de conscientização foi criado no início da década de 1990 pela própria Fundação.

Sem que houvessem instituições públicas ou privadas envolvidas, a ação aconteceu em Nova Iorque e ganhou o nome de “Corrida pela cura”.

A ideia ganhou importância e destaque, fazendo que outubro fosse instituído como o mês de conscientização nacional nos Estados Unidos, até se espalhar para o resto do mundo.

 

Qual é o objetivo da Campanha Outubro Rosa?

A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença; proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

Chamando a atenção das mulheres para a necessidade de se cuidar e de fazer a mamografia, essa campanha também estimula a realização do autoexame das mamas.

A mobilização visa também à disseminação dos cuidados preventivos com a saúde em geral, além de lutar por direitos como o atendimento médico e o suporte emocional, proporcionando um tratamento de qualidade.

 

Quando começou a campanha Outubro Rosa no Brasil?

No Brasil, a primeira ação do Outubro Rosa aconteceu no ano 2002, no Parque Ibirapuera, em São Paulo, onde o Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista foi iluminado com a cor de referência da campanha, o rosa.

Desde 2008, tornaram-se cada vez mais frequentes, ganhando mais força e representativa para a causa. Desde 2010, o INCA, participa do movimento desde 2010, promove eventos técnicos, debates e apresentações sobre o tema, assim como produz materiais e outros recursos educativos para disseminar informações sobre fatores protetores e detecção precoce do câncer de mama.

 

O que fazer para o Outubro Rosa?

Durante todo o mês, diversas instituições abordam o tema para encorajar mulheres a realizarem seus exames e muitas até os disponibilizam. Iniciativas como essa são fundamentais para a prevenção, visto que nos estágios iniciais, a doença é assintomática.

Esse ano, por conta da pandemia, as celebrações aconteceram de forma online. Exemplo disso, a principal ação do INCA no Outubro Rosa foi a palestra virtual “Câncer de mama: o que toda mulher precisa saber”, ministrada pela sanitarista Mônica de Assis, da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede.

Realizada no início do mês, ela esclareceu quais medidas devem ser tomadas por mulheres de todas as idades para prevenir o câncer de mama, quando elas devem procurar uma unidade de saúde para investigar alterações suspeitas na mama e a faixa etária indicada para se submeter a mamografia de rastreamento (indicada para mulheres sem sinais e sintomas da doença).

Além das atividades online, diversas entidades, instituições, prédios comerciais e residências, transportes, ruas, avenidas e monumentos públicos recebem iluminação cor de rosa, transmitindo a mensagem para todos os públicos. Profissionais das mais diversas áreas, como da saúde e da educação, usam uma fitinha rosa em forma de laço, representando a preocupação e luta contra a doença.

 

Sobre o câncer de mama

Há vários tipos de câncer de mama. Alguns têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem às características próprias de cada tumor.

Ainda segundo o INCA, o câncer de mama é um tumor maligno que ataca o tecido mamário e é um dos tipos mais comuns. Ele é causado pela multiplicação desordenada das células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Os principais sinais e sintomas suspeitos de câncer de mama são:

  • Nódulo fixo e, geralmente, indolor;
  • Alteração na posição ou formato do mamilo;
  • Vermelhidão, retração ou aparência de casca de laranja na pele do seio;
  • Saída espontânea de líquido pelo mamilo;
  • Aparecimento de caroços no pescoço ou axilas.

 

A importância do autoexame e diagnóstico precoce

O câncer de mama pode apresentar diversos sintomas, mas pode também pode ser assintomático. É importante, portanto, analisar com frequência qualquer alteração nas mamas e procurar o médico ao notar alguma anormalidade.

De acordo com especialistas, 95% dos casos identificados em estágio inicial têm possibilidade de cura. Mas, mesmo com esse importante número, ampla divulgação sobre as formas de prevenção da doença e da importância do autoexame, muitas mulheres acabam deixando essa preocupação de lado.

Reflexo disso, é que de acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) das 11,5 milhões de mamografias, principal método para o rastreamento da doença, que deveriam ter sido realizadas no ano passado, apenas 2,7 milhões foram feitas.

Vale ressaltar que entre as medidas que contribuem para prevenir o câncer de mama estão a adoção de uma alimentação saudável, pratica de atividades físicas regularmente, manter o peso adequado, além de evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

 

Diagnosticar o câncer precocemente aumenta significantemente as chances de cura. Cuide-se, ama-se e repasse a importância da realização do autoexame e da prevenção contra a doença!

 

Your compare list

Compare
REMOVER TODOS
COMPARE
0