Diferenças Entre E-commerce Varejista E Atacadista

Com restrições de circulação para evitar o contágio da Covid-19, os brasileiros passaram a comprar mais online e também a utilizar mais serviços de delivery. De acordo com o estudo da Nielsen Mídia, quando o assunto é e-commerce, 64,5% dos pesquisados disseram ter adquirido algo via internet.

O número significa uma alta na comparação com o mesmo período do ano passado, quando 46,2% disseram ter aumentado o tempo dedicado nas compras online. Hoje, além da venda para o consumidor final (B2C), as lojas virtuais estão realizando grandes negócios entre empresas, o chamado B2B, que envolve atacadistas, varejistas, distribuidores, revendedores e até outras indústrias são o público dessa modalidade.

No marketing digital B2B, as empresas trabalham duro para otimizar o processo de compra, economizando tempo e dinheiro. Muitas vezes, isso se explica por que uma compra B2B se baseia mais na lógica, uma vez que a compra realizada pelo consumidor (B2C), geralmente, se baseia mais na emoção. Para esse público, é menos provável que os consumidores se interessem por uma longa mensagem de marketing, desejando que você vá direto ao ponto.

Ou seja, não há uma receita. A capacidade de se desenvolver as atividades no meio online prestigiará as empresas que têm suas políticas bem organizadas, a capacidade de harmonização de interesses internos e motivação diante das oportunidades.

Entender a diferença entre os públicos colabora para que as estratégias corretas sejam aplicadas e se alcance o sucesso de qualquer negócio, atraindo o público-alvo adequado, que será convertido em vendas. A seguir, conheça as 7 principais diferenças entre o e-commerce atacadista X e-commerce varejista, segundo o site Profissional de E-commerce. Confira:

 

1– Perfis de cliente

Esta é talvez a principal característica de um B2B, que vai se desdobrar em outros pontos. Mas o principal é entender que clientes B2B precisam ser tratados de forma diferente.

Cada perfil de cliente compra determinados produtos, com níveis diferentes de preços, impostos, condições e formas de pagamento, etc. Então eles precisam ser classificados de forma diferente para que o sistema saiba como se comportar para atender cada um destes clientes.

 

2– Exibição da tabela de preços

Uma plataforma de e-commerce B2B precisa mapear as condições de preços que a empresa já possui com seus clientes. Isto significa normalmente trabalhar com várias tabelas de preços ou níveis de descontos, que são então vinculados aos perfis de clientes.

Normalmente, num site B2B não tem preços exibidos de forma aberta, por um simples motivo, não se sabe qual preço exibir. Como a tabela de preço é associada ao cliente, precisamos primeiro saber quem é este cliente para saber qual tabela de preço carregar.

 

3– Condições de pagamento

Compras B2B normalmente são faturadas, ou seja, o cliente faz o pedido e a empresa irá emitir os boletos para ele pagar. Em modelos B2C, o cliente precisa primeiro pagar o boleto, o dinheiro cair na conta, para então a empresa mandar o produto. Em B2B temos normalmente modelos de pagamento faturado, com liberação de crédito e pagamento posterior.

 

4– Pedido mínimo

Em um site B2C, você entra e pode comprar apenas um produto, é o modelo mais comum que existe. Porém, em B2B, algumas empresas acabam tendo regras de pedidos mínimos, seja de valor ou de quantidades de itens.

 

5– Cadastro e limites de crédito

Diferentemente do B2C, no B2B temos modelos de pagamentos faturados, ou seja, para que um cliente passa fazer pedidos neste modelo, ele precisa necessariamente ter passado por um processo de aprovação de cadastro e de crédito.  Nessa parte do processo, a empresa “confia” nos clientes e libera o envio dos produtos antes do pagamento. Existe também um limite de crédito definido, ou seja, enquanto estiver dentro do seu limite de crédito, ele pode colocar pedidos a faturar.

 

6– Centro de Distribuição

Por conta do tamanho das operações e também do problema fiscal, as empresas acabam tendo vários Centros de Distribuição. A escolha dos CDs que vão atender qual cliente pode ser uma definição tanto logística, onde está o estoque do produto, custo de entrega e prazo, quanto fiscal, podendo mudar consideravelmente o custo de impostos.

 

7– Produtos exclusivos

Em diferentes negociações com clientes, pode ser necessário que clientes diferentes vejam produtos diferentes. A empresa pode ter produtos que só podem ser vendidos a determinados clientes, seja por serem de venda exclusiva, seja por contratos de fornecimento, entre outros aspectos. Dessa forma, atrelado ao perfil do cliente, pode ser necessário inserir a informação de quais produtos este cliente terá acesso de visualização e compra ao se logar no sistema.

 

Referência: Profissional de E-commerce

 

Confira outros posts como esse no nosso Blog!

Como montar um plano de negócio para o seu e-commerce

8 dicas de como montar uma loja virtual de sucesso

 

IBE Conveniada FGV

Your compare list

Compare
REMOVER TODOS
COMPARE
0