Consumo Hibrido Pós-covid-19

Inesperada, a crise causada pela Covid-19 vem causando inúmeras transformações mundiais. Diante das medidas de isolamento social e de atender às normas do Ministério da Saúde, novas tendências estão surgindo. Com a restrição da circulação de pessoas nas ruas e os diversos decretos que proíbem o funcionamento de comércios não essenciais, principalmente os varejistas, precisaram se reinventar. Se adaptar ao cenário tornou-se uma necessidade urgente.

Cientes do risco de contaminação ao sair de casa, os consumidores têm apresentado um comportamento mais digital, usando aplicativos para compra e pagamento, por exemplo. Entre os principais motivos da alta taxa de aprovação no comércio online estão os bons preços, ofertas, a praticidade e os prazos de entrega rápidos.

Mas segundo pesquisas, no pós-pandemia, o comportamento do consumidor será híbrido. O consumo será tanto online quanto off-line: 62,7% pretendem mesclar compras de mercado. Um dos motivos das compras hibridas, é o medo de fraudes no pagamento, que não está no topo da lista de motivos pelos quais as pessoas não fecharam as compras online, ele aparece em terceiro lugar, com 19,4%.

O frete também pode ser considerado um dos fatores para que o consumidor continue fiel às lojas físicas. 65,4% dos entrevistados pretendem continuar comprando em e-commerces se o preço for interessante, e 59% se o preço do frete for mais barato, grátis ou considerado justo.

Para o professor da IBE Conveniada FGV, Joeval Martins, as compras online devem permanecer, mas não em altos índices como visto no período atual. Consumidores que tiveram alguma experiência negativa em compras virtuais, como atraso na entrega ou recebimento de produto diferente do que foi escolhido, não devem permanecer nessas plataformas.

Segundo a pesquisa da Social Miner, para 72,4% das pessoas, a experiência nos e-commerces foi positiva, sem desconsiderar também os 22,1% que tiveram uma vivência intermediária e 5,4% cuja experiência foi negativa.

Os números da pesquisa “O futuro do consumo num cenário pós-covid-19” da Social Miner, realizada em parceria com a Opinion Box, apontam que 62,7% dos entrevistados vão fazer compras de mercado/feira tanto online quanto em lojas físicas, e 10,9% estão decididos a consumir só online.

Em relação a cursos e estudos, por exemplo, quando o isolamento acabar, 45,4% pretendem fazer exclusivamente online, e 46,6% devem mesclar seus estudos tanto no online quanto no off-line.

Sobre compras de eletrodomésticos, 32,7% optam em fazer pela internet, mesmo modelo que 32,6% devem seguir ao adquirir eletrônicos e informática. Quanto a refeições prontas, 19,6% vão optar por pedir online ao invés de ir a um restaurante, e 68,4% devem pedir online e off-line.

Em resumo, além de híbrido, o consumo será feito de forma mais consciente e com fundamento. Compradores que antes resistiam em comprar online, agora estão vendo a necessidade crescer. E o que torna essa decisão favorável é ter a garantia de que serão bem atendidos.

Nos pós-pandemia, os consumidores estão cada vez mais seletivos. Com o home office, eles têm mais tempo de pesquisar, mais recursos para buscar informações e recomendações sobre o produto ou serviço, avaliando o investimento que será feito, por isso, a compra será feita de uma forma mais inteligente, baseada em mais análises e recomendações. As lojas, tanto físicas quanto online, precisam estar atentas!

 

Referência: E-commerce Brasil: Consumo pós-Covid-19: 62,7% pretendem mesclar compras de mercado entre online e offline

 

Veja mais conteúdos como esse no nosso blog!

Resiliência: saiba como lidar com situações de pressão durante a pandemia

Pandemia: quais são os riscos para as companhias aéreas?

 

IBE Conveniada FGV

Your compare list

Compare
REMOVER TODOS
COMPARE
0