Business Model Canvas

Nenhum começo de projeto é fácil e muitas dúvidas podem surgir no processo. Será que meu empreendimento é viável? O que preciso planejar antes de abrir meu negócio? Será que essas ideias para meu empreendimento se encaixam?

Assim, existem ferramentas relativamente simples que ajudam a estabelecer uma definição melhor do negócio e direcioná-lo para a viabilidade, lucratividade, fidelização de clientes e a diferenciação perante o mercado.

A principal delas é o Business Model Canvas, mais conhecido como Canvas, uma ferramenta bastante útil para quem já tem ou está planejando o seu negócio. Trata-se de um mapa visual utilizado na elaboração de plano de negócios, que ajuda o empreendedor a desenvolvê-lo através de 9 áreas estratégicas, que toda empresa deve estabelecer. Cada área do Canvas tem uma função importante e todas elas devem estar atreladas para que o modelo de negócio seja bem feito.

Continue lendo e veja como o Canvas vai ajudar você a estruturar seu negócio adequadamente.

 

O surgimento do Canvas

 Apesar de ser amplamente utilizado e muito conceituado, a metodologia Canvas é muito mais recente do que se pode imaginar. É, justamente, a sua objetividade e suporte, dentro de uma linha estratégica, que fez com que ela se popularizasse.

A ideia foi trazida à tona pela primeira vez em meados dos anos 2000, por Alex Osterwalder, em sua tese de Doutorado.

A aceitação foi imediata e fez grande sucesso. Ciente do resultado de um trabalho de muita pesquisa e estudos, Alex mostrou ao mundo o Business Model Canvas por meio de seu livro Business Model Generation: Inovação em Modelos de Negócios.

A partir de então, o mundo pôde conhecer a metodologia que passou a revolucionar o direcionamento estratégico de modelos de novos empreendimentos.

 

Antes de mais nada, por que é importante implementar o método Canvas?

Na prática, um modelo de negócio descreve a lógica de funcionamento do negócio: qual a oferta de valor, como entregar e como gerar receita a partir dessa oferta. Em resumo, entende o funcionamento da empresa e a necessidade dessa mesma empresa no mercado em que se propõe atuar.

Com o Canvas, é possível inovar naquilo que já se faz e buscar novas frentes, caso entenda necessário. Esse modelo possibilita que o empreendedor seja o melhor, entregue mais valor e, consequentemente, se destaque da concorrência.

Se tiver clareza do que está fazendo, e essa é a proposta do modelo Canvas, o empreendedor poderá lançar novos produtos e atuar em outros mercados, sem medo de se perder no caminho, pois ainda terá uma gestão bem elaborada.

 

 

Áreas Estratégicas do Business Model Canvas

  1. Proposta de Valor

A proposta de valor é aquilo que seu negócio oferece para os clientes e que agregam algum interesse para eles, algo pelo qual eles pagariam para ter. Pode ser desde um produto ou serviço diferenciado até a experiência de um atendimento personalizado.

  1. Segmento de Clientes

O público-alvo dos produtos ou serviços oferecidos deve ser segmentado, que o seu empreendimento estabeleça o foco da venda. Nessa área, deve-se identificar diversas características dos potenciais clientes do negócio, levando em conta características como sexo, idade e classe econômica, localidade, interação em rede social e etc.

  1. Canais

A forma como o cliente irá comprar e receber seu produto ou serviço e como a empresa vai se comunicar e alcançar esses clientes para entregar a proposta de valor oferecida deve ser definida. Chamamos isso de canais de venda. Nessa etapa devem ser definidas estratégias como: se o atendimento será presencial, se haverá a possibilidade de entrega a domicílio, se é interessante a criação de um site, como será o marketing, entre outros.

  1. Relacionamento com clientes 

Como que a empresa irá se relacionar com cada segmento para atrair, conquistar e fidelizar cada vez mais seus clientes é outra etapa fundamental do Canvas. É importante pensar em como os clientes poderão entrar em contato com a empresa para dar sugestões, reclamações e avaliações do produto e serviço oferecido, como as pesquisas de satisfação podem ser feitas, quais canais serão usados (telefone, redes sociais, atendimento físico), e como serão as respostas à essas solicitações.

  1. Atividades principais

Também devem ser definidas as atividades essenciais que a empresa deve realizar para fazer o modelo de negócios funcionar, a proposta de valor ser entregue, construir canais necessários e manter o relacionamento com clientes. Essas atividades podem ser desde construir uma loja física até a manutenção de um site da empresa. O importante é que você pense no seu próprio Canvas e não use modelos de plano de negócios prontos, que não correspondem a sua realidade.

  1. Recursos principais

Outra fase da implantação do seu modelo, é organizar os recursos necessários para a realização das atividades principais e para manter e dar suporte ao negócio. O Canvas costuma ser preenchido com post its para facilitar a organização. Esses recursos podem ser máquinas, equipes, plataformas de tecnologia, ou seja, tanto bens materiais, quanto recursos imateriais.

  1. Parcerias principais

Estabelecer as parcerias principais como fornecedores, parceiros e alianças de negócio também deve integrar seu plano. Vejam todos aqueles que vão ajudar de alguma forma no funcionamento de seu empreendimento, contribuindo de forma terceirizada através de serviços ou recursos adquiridos fora da empresa. Os parceiros principais podem tanto contribuir com as atividades principais de seu negócio quanto com os recursos principais necessários.

  1. Receitas

As fontes de receita são as formas como a empresa irá gerar receita, ou seja, os rendimentos de uma empresa. É nesse momento que o empreendedor deve se perguntar: quanto e como vou receber dos meus clientes? De que forma os produtos e serviços vão gerar retorno financeiro? Nessa etapa, são definidas questões como venda direta, aluguel, assinatura de pacotes, publicidade paga, entre outras formas de geração de receita. É um erro muito comum as empresas familiares misturarem as finanças da empresa com as de casa. Não caia nessa armadilha.

  1. Estrutura de Custos

Essa parte do Canvas refere-se aos custos relevantes e necessários para se manter e construir todo o modelo de negócios proposto. Nesse item, deve-se incluir custos com materiais, manutenção, funcionários, entre outros.

Com essas nove etapas é possível começar a estruturar um negócio de forma bastante visual e dinâmica.  Por isso, é importante lembrar que o Canvas permite a inovação a qualquer momento e que a primeira versão não é sempre a definitiva, pode-se aprimorar e tornar o modelo de negócios mais criativo sempre que uma ideia nova surgir.

 

 

Agora que você conhece o caminho, está preparado para estruturar o seu negócio.

Se gostou do post, acesse o nosso blog e confira outros conteúdos semelhantes!

Conheça a Machine Learning e descubra a importância de aplicá-la na sua estratégia

Inovação: conheça quatro empresas que tiveram insucesso nesse processo

IBE Conveniada FGV

Your compare list

Compare
REMOVER TODOS
COMPARE
0