4 lições que o Super Bowl ensina para empreendedores

4 lições que o Super Bowl ensina para empreendedores – Equipe do astro Tom Brady conseguiu virar o jogo na final da temporada do futebol americano. O que a partida ensina para quem é dono de um negócio.

A 51ª edição do Super Bowl, que impressionou os espectadores neste domingo ao mostrar uma virada protagonizada pela equipe favorita do principal campeonato de futebol americano, rende dicas valiosas para empreendedores.

O último minuto foi, literalmente, decisivo para que o New England Patriots, equipe do astro Tom Brady, conseguisse seu quinto troféu. Até o final do terceiro quarto da partida, os vermelhos do Atlanta Falcons tinham ampla vantagem de pontos sobre o time. Mesmo diante de um cenário tão adverso, a equipe reagiu, conseguiu levar o jogo para a prorrogação e venceu o campeonato.

Veja, a seguir, quatro lições de empreendedorismo que podem ser aprendidas com a partida final de um dos campeonatos mais assistidos do mundo:

1. Em tempos adversos, arrisque

Os Patriots mostraram que muitas oportunidades podem ser perdidas quando se opta pelo caminho da inércia. O time fez jogadas poucos convencionais para reverter o resultado desfavorável. Quando fez um touchdown (movimento que consiste em passar a linha do gol sem ser barrado pelo adversário), o time poderia ter dado um chute que renderia um ponto extra, mas preferiu arriscar e tentar cruzar a linha do gol para ganhar pontos em dobro.

A estratégia deu certo. “Muitos negócios não deslancham porque o empreendedor tem medo de tomar decisões”, afirma Ivan Martinho, professor de marketing esportivo da pós-graduação da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

Caso mantivesse sua estratégia, o time não ia conseguir vencer a partida, acredita Gustavo Carrer, consultor do Sebrae-SP. “Era uma corrida contra o tempo e com uma desvantagem grande de pontos. O cenário exigia uma tomada maior de risco para que a equipe conseguisse atingir o seu objetivo.”

2. Seja apaixonado, mas não emocional

Além da ampla desvantagem de pontos, o New England Patriots ainda errou uma jogada ao tentar reagir, mas ainda assim foi capaz de controlar a frustração para obter a vitória. “Só mantendo a frieza os jogadores foram capazes de encontrar a estratégia certa no final do jogo”, diz Carrer, do Sebrae-SP.

Em um cenário de adversidade, a inteligência emocional pode ser o diferencial no sucesso do negócio. E isso vale para toda a equipe de uma empresa. “Um erro comum entre os empreendedores é não se preparar e nem treinar sua equipe para enfrentar momentos difíceis”, diz Carrer. “É importante ter uma estratégia clara para contornar dificuldades.” Saiba mais: 10 sinais de que você tem inteligência emocional no trabalho.

3. Tenha timing

Ter apostado em ataques mais contundentes ao adversário no momento certo definiu o resultado da final do campeonato de futebol americano.

No mundo dos negócios, a estratégia pode significar buscar o timing correto para lançar um produto ou serviço, diz Rafael Teles, CEO da Ciklun. “Se o negócio não está dando certo por fatores externos, como uma concorrência forte, talvez seja melhor esperar por um momento mais favorável. No caso do Patriots, foi preciso aguardar a perda de energia do adversário para enquadrar uma estratégia vitoriosa”, afirma.

Qualquer negócio depende do timing correto. Um produto hoje pode não fazer o sucesso que faria no ano passado ou que poderia fazer no ano que vem. O empreendedor deve analisar essas possibilidades.

4. Aprenda com o fracasso

Começar perdendo, como o time vencedor do Super Bowl, exige uma reação que pode ser saudável para o negócio, diz Teles, da Ciklun. “O empreendedor é obrigado a aprimorar o negócio e parar de procrastinar. O fracasso ajuda a criar uma sustentação mais sólida para o negócio no futuro.”

Carrer, do Sebrae-SP, faz uma analogia da conquista de territórios do futebol americano com a conquista de mercados. “Se o concorrente é tão bom quando você, você em algum momento pode perder espaço. O segredo é perseverar para resgatá-lo, aprender com os erros e não ficar de braço cruzado.”

Fonte: Exame.com

Fique por dentro

Assine nossa Newsletter e receba as novidades por email